PUBLICIDADE

Banner

Cá Entre Nós - Sergio Guizé

Sergio Guizé capa 2.jpg

 
Ator, cantor, guitarrista, Sergio Guizé estreou nas novelas com o pé direito. O ator interpretou o personagem João Gibão, protagonista do remake de 'Saramandaia', trama exibida no horário das onze horas da TV Globo.
O convite para estrelar 'Saramandaia' surgiu depois do grande destaque que teve na série 'Sessão Terapia', exibida pelo canal GNT e dirigida por Selton Mello. 
Guizé estreou na TV fazendo uma participação especial na telenovela 'Pícara Sonhadora', do SBT. Na televisão, fez participações em 'Da Cor do Pecado' (2004) e 'Caminho das Índias' (2009). O ator também já trabalhou em seriados como o '9mm', exibido em 2008, pelo canal por assinatura Fox, na série 'Tapas e Beijos', como o travesti Lorraine, entre outros. 
No cinema, o paulista de Santo André atuou nos filmes: 'O Abismo Prateado', 'O Crime do Pato Branco', 'Quanto Dura o Amor?', 'Até o Fim do Dia', 'Tempos de Aquário', 'O Diário de Simonton', 'Bruna Surfistinha', 'Onde Está a Felicidade?', 'Os Inquilinos' e 'Vai que Dá Certo'.
Em 2014, integra o elenco da novela das sete 'Alto Astral'. Na trama, Sergio interpreta o médico Caíque Bittencourt, herdeiro de um hospital junto ao irmão. Ao longo da história ele descobre a sua capacidade de se comunicar com os mortos.
Formado pela Escola Livre de Teatro, de Santo André e pela Fundação das Artes de São Caetano do Sul, Sergio estreou no teatro em 1998, atuando em 'O Beijo no Asfalto', de Nelson Rodrigues, com o núcleo de direção da ELT, com coordenação de Antônio Araújo. Depois fez 'Ópera Punk', 'Existe Alguém Mais Punk que Eu?', 'Crime e Castigo', e 'Apocalipse 1,11'.
Em 2016 conquistou ainda mais o Brasil na inesquecível interpretação de Candinho de 'Êta Mundo Bom!' (Rede Globo), seu terceiro papel na TV como protagonista.
No ano seguinte, em 2017, esteve de volta à telinha interpretando o personagem Gael na novela 'O Outro Lado do Paraíso', sendo inicialmente o seu primeiro vilão que já muda para anti-herói no decorrer da trama, revelando que ele não era exatamente mau.
Em 2018 mostrou o seu potencial como cantor e guitarrista sendo um dos participantes da segunda temporada do programa 'Popstar', da Rede Globo.
Seu último papel na TV foi na novela 'A Dona do Pedaço', interpretando o justiceiro Chiclete, seu segundo vilão no horário nobre.
Ao longo da carreira Sergio Guizé já teve seu nome indicado em diversos prêmios na categoria de melhor ator, conquistando alguns deles.
Além da carreira de ator, desde 2001 o multifacetado artista também se dedica à guitarra e ao vocal da banda Tio Che.
Neste sábado, dia 30, às 17h, Sergio Guizé será o convidado especial do cantor e compositor Lula Ribeiro, no encerramento da temporada de lives do 'Projeto Verão', no Instagram (@lularibeiro), onde juntos irão soltar os trinados em torno de muita música, onde Guizé aproveitará o momento para lançar a canção Mochileiro, seu primeiro single solo.
Mas, antes desse mosaico ritmico do final da tarde de sábado, conheça um pouco das preferências cotidianas do Sergio Guizé, especialmente para o Bacanudo.com. Show! 
 
*Meu livro - "Crime e Castigo", de Dostoiévski.
*Meu filme - "Contra a parede", de Fatih Akin.
*Minha música - "Socorro", de 'Arnaldo Antunes'.
*Minha cidade - São Paulo.
*Minha cara - De pau.
*Minha bebida - No momento água gelada.
*Minha comida - Mineira.
*Minha estação do ano - A primavera.
*Meu paraíso - Cachoeira.
*Minha fraqueza - Não aceitar todas as minhas fraquezas.
*Meu pecado - Sentir culpa.
*Meu vício - A minha arte.
*Meu medo - Do meu professor.
*Minha flor - 'Bianca Bin', minha mulher.
*Meu esporte - Futebol.
*Meu lazer - Bicicleta.
*Minha etiqueta - Punk.
*Meu cheiro - De mato.
*Meu ídolo - Charles Chaplin.
*Meu sonho - De justiça social.
*Minha inspiração - Os livros.
*Meu arrependimento - Muitos. Nem cabem aqui.
*Meu compositor - 'Itamar Assumpção'.
*Meu restaurante - 'Planetas', em São Paulo.
*Minha paisagem - Serra da Arrábida, em Portugal.
*Minha indiferença - Para a inveja.
*Meu exagero - O meu drama.
*Minha impaciência - Com alienado político.
*Meu lugar no mundo - Na minha casa.
*Meu lugar na casa - No nosso jardim.