Cá Entre Nós - Lucinha Lins

Lucinha Lins capa.jpg

(Foto: Divulgação)


 
A atriz, cantora, compositora e apresentadora 'Lucinha Lins', estará em Aracaju neste sábado e domingo, 6 e 7 de outubro, onde dividirá o palco do "Teatro Atheneu" com as também atrizes e cantoras, 'Tânia Alves' e 'Virgínia Rosa', e juntas irão encantar o público sergipano com o espetáculo que vem sendo sucesso de público em todo o Brasil, "Palavra de Mulher", dirigido por 'Fernando Cardoso', com direção musical assinada por 'Ogair Junior', musical em que o trio de artistas dá vida às personagens femininas das canções de 'Chico Buarque', em clima de cabaré. 
Carioca da gema, 'Lucinha Lins' cresceu na Barra da Tijuca e, na adolescência, com um grupo de amigos apaixonados por música, formou o MAU (Movimento Artístico Universitário), onde começou a cantar e conheceu o músico e compositor 'Ivan Lins'. 
No começo dos anos 70, já casada com 'Ivan Lins', 'Lucinha' participou dos shows do cantor como vocalista e percussionista. Paralelamente, cantou em festivais de música brasileira e começou a gravar jingles. Vieram, então, os comerciais de televisão, que acabaram por revelar o belo rosto escondido atrás daquela bela voz.
Como cantora, gravou seu primeiro disco em 1974 e, em 1981, venceu o "Festival MPB Shell" com a canção "Purpurina". 
Meses depois de ganhar o festival, 'Lucinha Lins' estreou o espetáculo “Sempre, Sempre Mais”, ao lado de 'Cláudio Tovar', com quem viria a se casar, com enorme sucesso. O musical ficou dois anos em cartaz e 'Lucinha Lins' foi eleita a musa do verão carioca e estava em todos os lugares: na capa das revistas, nos programas de TV, nos discos e no cinema, a exemplo do filme "Saltimbancos Trapalhões", sucesso absoluto de bilheteria. 
Como atriz de TV, estreou na série 'Plantão de Polícia'. Posteriormente trabalhou na novela infantil "Sítio do Picapau Amarelo" como a personagem 'Rapunzel' e foi uma das protagonistas da minissérie 'Rabo-de-Saia', com direção de 'Walter Avancini', onde vivia uma das três mulheres do personagem de 'Ney Latorraca'. 
'Lucinha deu vida também a personagem Mocinha, na novela 'Roque Santeiro', no ano de 1985. Mas seu papel mais lembrado pelo público e pela crítica foi 'Estela', da novela "A Viagem", onde ela brilhou em cenas de grande intensidade dramática e mostrou ser uma das mais talentosas atrizes do Brasil.
Novamente em parceria com 'Cláudio Tovar', seu segundo marido, 'Lucinha Lins' produziu musicais infantis como “Sapatinho de Cristal”, “Simbad de Bagdá” e “Caixa de Brinquedos”. O sucesso desses espetáculos foi tanto, que a "Rede Manchete de Televisão" convidou o casal para criar e apresentar um programa infantil: “Lupu Limpim Claplá Topô” - inesquecível para quem foi criança em meados dos anos 80. 
Como atriz e cantora, participou de vários musicais no teatro, como “O Corsário do Rei” de 'Edu Lobo' e 'Chico Buarque', “Splish-Splash”, “O Fantópera da Asma”, “Rosa, um Musical Brasileiro” e muitos outros. Em 2003, em agosto, estreou no papel de 'Vitória Régia', uma das protagonistas da remontagem do musical “A Ópera do Malandro”, de 'Chico Buarque', dirigida por 'Charles Möeller' e 'Cláudio Botelho', o maior sucesso de público e crítica dos últimos anos no Rio de Janeiro, onde teve oportunidade de contracenar com seu filho 'Cláudio Lins' e seu marido 'Cláudio Tovar'. Com essa montagem, foi indicada ao Prêmio Shell de melhor atriz, em 2003. Mas Lucinha também fez papéis dramáticos em peças de teatro que não eram musicais, como é o caso de "Intimidade Indecente", peça de 'Leilah Assumpção', quando substituiu 'Irene Ravache' e 'Vera Holtz' no papel principal, ao lado de 'Otávio Augusto'. 
Depois de 20 anos sem gravar um disco solo, participando apenas de trilhas sonoras e de discos de outros intérpretes, 'Lucinha Lins' regressou ao mundo fonográfico com um songbook inteiramente dedicado à compositora brasileira 'Sueli Costa'. O disco foi lançado em novembro de 2002, pela "Biscoito Fino". Nele, Lucinha interpreta 17 músicas com letras dos parceiros 'Abel Silva', 'Capinam', 'Aldir Blanc', 'Vitor Martins', 'Ana Terra', 'Cacaso', 'Paulo César Pinheiro' e Tite de Lemos'. 
Através do nosso descontraído bate papo, conheça um pouco mais dessa artista que na infância queria ser bailarina ou médica.
 
*Meu livro - "Cem Anos de Solidão", de Gabriel García Márquez.
*Meu filme - "A Noviça Rebelde", de Robert Wise. (Eu queria ser a Julie Andrews).
*Minha música - "Se uma estrela aparecer" (Pinóquio).
*Minha cidade - O Rio de Janeiro.
*Minha cara - O sol.
*Minha bebida - Água.
*Minha comida - Macarronada.
*Minha estação do ano - O outono no Rio de Janeiro.
*Meu paraíso - A minha casa.
*Minha fraqueza - (não respondeu).
*Meu pecado - Só um. (risos).
*Meu vício - Música.
*Meu medo - De cair no palco.
*Minha flor - Flamboyant. 
*Meu esporte - Tênis.
*Meu lazer - Praia.
*Minha etiqueta - (não respondeu).
*Meu cheiro - De alfazema. 
*Meu ídolo - Só um. (risos).
*Meu sonho - Ter um Teatro.
*Minha inspiração - A minha família. 
*Meu arrependimento - Não lembro.
*Meu compositor - 'Ivan Lins'.
*Meu restaurante - Os de frutos do mar do Nordeste.
*Minha paisagem -  A Baía de Guanabara. 
*Minha indiferença - (não respondeu).
*Meu exagero - Falar demais.
*Minha impaciência - Para a política do meu país. 
*Meu lugar no mundo - Na minha casa.
*Meu lugar na casa - Qualquer um.