Cá Entre Nós - Daniel Boaventura

DB.jpg

 
'Daniel Boaventura' é um artista completo. Com uma carreira já consagrada no teatro e na teledramaturgia, o artista soteropolitano também mostra um talento refinado na música.
Filho de professores de uma família tradicional que ouvia MPB e canções eruditas, 'Daniel Boaventura' teve a música como algo natural em sua formação. Mas a certeza veio aos 15 anos, quando comprou o álbum 'Dire Straits ao Vivo', que o impulsionou e o inspirou definitivamente para esta arte. 
Montou duas bandas com os amigos da escola, intituladas 'Horas Vagas' e 'Os Tocáveis', que competiam com o cursos de Administração, Relações Públicas e Publicidade. Três tentativas que apenas reforçaram sua vocação para as artes. As “brincadeiras” musicais ficaram sérias e a banda 'Horas Vagas' foi convidada a participar do musical 'Cinema Cantado'.
Foi em 1991, na estreia de 'Daniel Boaventura' nos palcos, apresentando o clássico tema On Broadway, que após assistir ao espetáculo, o diretor teatral 'Fernando Guerreiro', criador da "Cia. Baiana de Patifaria", o convidou para o musical 'Zás Trás'. Na sequência, fez o "show" solo chamado Pop n’Jazz” – que lhe rendeu o Troféu Caymmi na categoria revelação de intérprete -, e logo depois encenou “O Casamento do Pequeno Burguês”, de Bertold Brecht, no qual, além de cantar e atuar, tocava saxofone.
A partir daí, estava estabelecida a carreira de 'Daniel Boaventura', que desde então, emendou um trabalho no outro tornando-se um dos maiores atores da constelação Globo.
Pai de duas meninas, Joana e Isabela, o multifacetado artista estará em Aracaju musicalmente pela segunda vez, neste domingo, 27, às 20h, onde soltará os trinados em torno do seu novo show, no Teatro Tobias Barreto, em mais um espetáculo de repertório incrível e inesquecível. 
Confira abaixo as preferências e opiniões do brilhante e talentoso artista. 
 
*Meu livro - 'Laranja Mecânica', de Anthony Burgess.
*Meu filme - 'The Godfather' I & ll, dirigido por Francis Ford Coppola
*Minha música - Pop Rock das décadas de 70' & 80'.
*Minha cidade - Nova York e São Paulo.
*Minha cara - Andar pela rua da cidade.
*Minha bebida - Vinho tinto.
*Minha comida - Hamburger, cassoulet, acarajé, gelato (vulgo: sorvete). 
*Minha estação do ano - O inverno.
*Meu paraíso - As minhas filhas.
*Minha fraqueza - As minhas filhas.
*Meu pecado - O da gula.
*Meu vício - Gelato.  
*Meu medo - De decepcionar minhas filhas. 
*Minha flor - As mulheres da minha vida que me amaram e me amam.
*Meu esporte - Alguma coisa que envolva porrada e não envolva bola.
*Meu lazer - Cinema. 
*Minha etiqueta - Sempre a dama primeiro, os idosos primeiro, obrigado, por favor, com licença. 
*Meu cheiro - Não saio de casa sem passar perfume, colônia. 
*Meu ídolo - Os meus pais.
*Meu sonho - Profissional? Carreira internacional. 
*Minha inspiração - A minha família, o meu público e os grandes cantores.  
*Meu arrependimento - Não ter aprendido francês. 
*Meu compositor - Bach, Mozart, Bethoven, Tchaykovsky, Sonheim, Jobim, João Bosco, Marck    Knofler
*Meu restaurante - Um que tenha boa comida, bom serviço, boa carta de vinho e preço justo.
*Minha paisagem - Manhã fria e chuvosa e eu na cama com nada pra fazer de manhã olhando a  janela.
*Minha indiferença - Quando vejo pessoas que se acham superioes à outras ou merecedoras de  atenção especial.
*Meu exagero - Quando peço para me servirem gelato. 
*Minha impaciência - Com pessoas que não cedem lugares para damas ou para os mais idosos.
*Meu lugar no mundo - Com minha familia e amigos, em paz, de preferência com comida e vinho. 
*Meu lugar em casa - Meu home theatre.